domingo, 27 de dezembro de 2015

The Magicians


Hoje estava em um site a procura de novas séries para assistir nas férias e encontrei uma que me chamou a atenção - The Magicians. A série é recente e estreou no dia 16 de dezembro no canal Syfy.  A história é baseado no livro do autor Lev Grossman no qual escreveu três livros sobre essa saga.

segunda-feira, 26 de outubro de 2015

Sobre o 3º episódio da 6ª temporada de The Walking Dead



Todo mundo que me conhece sabe o quanto eu amo assistir The Walking Dead e que está é uma das minhas séries favoritas, enfim, antes de começar a assistir o 3º episódio da 6ª temporada, sem querer acabei lendo um pequeno spoiler do que aconteceu no episódio, mas calma ai, que ao contrário de alguns eu não ligo de receber spoiler em minha timeline, mas sem querer li e já fiquei chocada com que eu temia. 

Procurei o mais rápido possível o link  para eu assistir, consegui ver o finalzinho do episódio em transmissão simultânea. O que todos estavam comentando nas redes sociais acabou acontecendo mesmo, a perda de mais um personagem principal da série, não que esse personagem fosse o meu preferido mas eu gostava muito e era importante para a equipe. Claro que a série trata-se sobre sobrevivência e todos ali estão sujeitos a morrer em qualquer momento da mesma forma que outros morreram nos episódios e temporadas passadas. Mas calma, não irei deixar de assistir a série por conta disso até porque tem muitos personagens bons e importantes que continuarão crescendo na busca da sobrevivência.

Termino esse texto apenas para ressaltar que o personagem Nicholas é tão covarde quanto o padre Gabriel, se quisesse se matar que se matasse mas não precisava levar ninguém junto com ele, aliás esse padre é outro bastante insignificante que já deveria ter virado zumbi há tempos. 

Aguardando o próximo domingo (01/11) para assistir o quarto episódio, estou ansiosa pra saber de que forma toda a equipe irá receber a noticia da morte desse personagem já que só haviam os dois no cenário e os dois morreram, nenhuma testemunha viu o ocorrido. 

Não basta te perdido o pai, a irmã e agora o boy magia. 


Sobre o óbvio


O texto Sobre o Óbvio escrito pelo antropólogo Darcy Ribeiro retrata sobre as coisas óbvias e simples que acontecem no nosso dia a dia e, muitas vezes passa despercebidos, não conseguirmos enxergar a realidade ou não entendemos o porquê as coisas funcionam dessa forma em nosso país e outros de uma forma diferente.

É obviedade dizermos que todos os seres humanos são racistas, às vezes, sem perceber acabam falando algo racista mas não no sentido pejorativo pois no fundo todos nós sabemos que é racismo. Ao acaso no ambiente esportivo como em estádios de futebol, é comum presenciarmos torcidas  ofendendo as outras com palavras de baixão calão e/ou racista mesmo sabendo que não passa de uma mera gozação por parte dos torcedores e isso tem gerado polêmica até nos meios de comunicação; alguns acreditam que deveriam parar com esse tipo de provocação e aderir a moda do politicamente correto, mas a gente sabe que não é bem assim, não podemos determinar o que o outro deve ou não dizer, a solução ignorar ou aceitar que tudo não passa de uma brincadeira, e tudo passa.

Não foi dessa vez para o Mogi Basquete


Sábado, 24 de outubro, está é a data oficial que decidiria se o Mogi Basquete consagraria campeão do Campeonato Paulista de Basquete de 2015. O jogo aconteceu em casa, no ginásio Hugo Ramos, contra o São Jose dos Campos.  Casa cheia repleto de torcedores mogianos ovacionando os jogadores, gritando até arranhar as cordas vocais e ficarem sem voz.

O jogo bastante equilibrado para os dois times. São José não se intimidou com a equipe e a torcida mogiana que não parou nem um segundo. A diferença de cestas entre um time e o outro era mínima, quando um acertava uma cesta seja ela de um, dois ou três pontos, o adversário retribuía e assim foi sucessivamente durante o jogo inteiro.

domingo, 20 de setembro de 2015

Vamos nos permitir

A menina que hoje é uma mulher sempre detestou pessoas que a tratassem com indiferença e a subestimasse, hoje ela ainda luta para que as pessoas reconheçam que elas também erram e, que ninguém é melhor e nem pior que ninguém apenas somos diferentes. É preciso reconhecer isso nas pessoas para tornar uma convivência social e tolerável, aceitando dessa forma as diferenças e as escolhas de cada um.


Dói quando a pessoa que a gente ama e a que mais deveria dar apoio prefere nos subestimar e deixar bem claro o seu desprezo pelos nossos sonhos, implicando com a intenção de nos ferir por dentro.

Eu como uma boa aquariana prezo muito pela liberdade e procuro sempre entender e se colocar no lugar do outro para evitar o julgamento. Abomino qualquer pessoa que tem pensamentos negativos e pensam tão pequenininho, preferindo cuidar da vida dos outros ao invés da sua própria vida. Por mais que seja um parente, às vezes precisamos ignorar e evitar comentar sobre a nossa vida para evitar brigas desnecessárias e aborrecimento, no final de tudo, a pessoa irá se arrepender pelas tristes palavras que entristeceu a nossa alma.

Algumas pessoas questionam que quem sonha alto acaba levando um tombo maior do que o esperado e acham que por conta disso devem desistir. Eu discordo. Sonhe demasiado, sonhe alto e não se preocupe com o tombo. Caiu? Levante e continue sonhando.

A vida é feita de escolha e experiência. Escolhemos quem realmente queremos ser e cada um é responsável pelo seu ato. Escolhemos experimentar e vivenciar novas oportunidades e sonhos para buscar um pouco de felicidade.

quinta-feira, 3 de setembro de 2015

A menina que hoje é uma mulher sempre detestou pessoas que a tratassem com indiferença e a subestima, hoje  ela ainda luta para que as pessoas reconheçam que elas também erram e, que ninguém é melhor e nem pior que ninguém apenas somos diferentes. É preciso reconhecer isso nas pessoas para tornar uma convivência social e mais tolerável e aceitar as diferenças e as escolhas de cada um.

Dói quando a pessoa que a gente ama e a que mais deveria dar apoio prefere nos subestimar e deixar bem claro o seu desprezo pelos nossos sonhos, implicando com a intenção de nos ferir por dentro.

Eu como uma boa aquariana prezo muito pela liberdade e procuro sempre entender e se colocar no lugar do outro para evitar o julgamento. Abomino qualquer pessoa que tem pensamentos negativos e pensam tão pequenininho, preferindo cuidar da vida dos outros ao invés da sua própria vida. Por mais que seja um parente, às vezes precisamos ignorar e evitar comentar sobre a nossa vida para evitar brigas desnecessárias e aborrecimento, no final de tudo, a pessoa irá se arrepender pelas tristes palavras que entristeceu a nossa alma.

Algumas pessoas questionam que quem sonha alto acaba levando um tombo maior do que o esperado e acham que por conta disso devem desistir. Eu discordo. Sonhe demasiado, sonhe alto e não se preocupe com o tombo. Caiu? Levante e continue sonhando.


A vida é feita de escolha e experiência. Escolhemos quem  realmente queremos ser e cada um é responsável pelo seu ato. Escolhemos experimentar e vivenciar novas oportunidades e sonhos para buscar um pouco de felicidade.

sexta-feira, 24 de julho de 2015

O esporte não é violento, o que é violento são as pessoas


Sexta-feira, 24, quando estava prestes a terminar o meu almoço, assisti uma reportagem em um jornal local da minha cidade na qual falava sobre atletas e praticantes do jiu jitsu e mma praticando o esporte na China para ajudar no rendimento e crescimento, eis que surge alguém entrando e falando alto dizendo que é o esporte mais ridículo e violento que há e chamando os praticantes de ignorantes. Fiquei revoltada e acabei dando a minha opinião que ignorância é criticar sem ter um conhecimento sobre a história e os benefícios de cada arte marcial. 

Um esporte como este na vida de uma criança ou de um adulto ajuda no desempenho escolar, rendimento corporal, defesa pessoal e valores éticos, morais e a filosofia que é ensinado. O principal ensinamento é o respeito ao adversário e nunca usar o esporte para brigar na rua e agredir outros ou com uma pessoa que não tem nenhum conhecimento técnico defensivo.  

Comecei a treinar brazilian jiu jitsu e muay thai há pouco tempo, não sei até quando vai durar, espero que dure por um bom tempo pois eu sinto um prazer tão gostoso em praticar essas artes marciais.

Toda as coisas do mundo tem um lado bom e um lado ruim, só acho que as pessoas deveriam descartar o lado ruim e enxergar o lado bom das coisas; quem sabe assim não surge um pouco de otimismo. O mundo já está cheio de gente pessimista, por favor esses eu quero bem longe de mim.

sexta-feira, 15 de maio de 2015

Rivalidade não, apenas adversário.


Na quinta-feira aconteceu mais um episódio lamentável no cenário do futebol sul-americano. Não tão incomum assim, aliás algo que sempre ocorreu em torcidas organizada ou não de times rivais seja aqui na Argentina ou no próprio Brasil, dentro ou fora dos estádios a violência e o ódio pelo adversário está lá.  

Tirar sarro das derrotas e vexames dos times rivais/ adversários é válido desde que esteja dentro do limite, a partir do momento que a brincadeira que até então era sadia ultrapassa e comprometa a moral e o físico dos torcedores e jogadores já passa a ser um ato de covardia e desrespeito com o outro. Ganhar todos nós queremos e lutamos para almejar a meta porém só há um vencedor em um campeonato; é difícil aceitar a derrota mas faz parte de um jogo de qualquer modalidade esportiva.  Derrota também é aprendizado e reconhecimento em saber que o nosso adversário usou as melhores estratégicas e soube controlar melhor o seu emocional.

Se o seu time perdeu não é o fim do mundo, haverá outros jogos e campeonatos a ser disputado, cada um merece e tem a sua oportunidade de chegar a sua glória desde que tenha humildade e consciência para saber que o time não será o único o melhor do mundo. Tudo é questão de momentos. Momentos simplesmente acabam, os velhos e momentos gloriosos ficam na memória e os novos momentos aconteceram no decorrer do tempo.

Diante desse cenário vergonhoso acontecido no estádio do Boca Junior - La Bombonera em Buenos Aires - acredito que tanto a confederação de futebol e jurídica deve punir tanto o time quanto os jogadores pelo mau comportamento no estádio e a falta de respeito e compaixão com o adversário, seja lá nos próximos jogos proibir jogos com torcida no mando ou algo mais severo ou do outro tipo. Evidentemente que não é a maioria dos torcedores que comete essa brutalidade nos estádios ou  fora, não podemos generalizar e sabemos que é uma parcela pequena, mas são os poucos que acabam estragando uma festa alegre e bonita e quem acaba pagando pelos atos são todos envolvidos indiretamente, diretamente ou aqueles que passaram longe de toda essa confusão.   

O time é grande também quando reconhece que jogou mal, reconhece que o time adversário foi melhor e mesmo assim sai do estádio de cabeça erguida porque sabe que de alguma forma deu o seu melhor.

Ana Paula Bastos 

sábado, 9 de maio de 2015

De volta ao Mogi Basquete


Há uns 15 anos atrás eu costumava frequentar o ginásio municipal de Mogi das Cruzes junto com o meu primo, acompanhávamos os jogos do Mogi/Valtra, inclusive foi aproximadamente nessa época que o time estava começando a entrar no auge, tornando-se um time reconhecido e ganhando muitos jogos. Durou pouco e sem eu perceber eu já não estava mais frequentando os jogos, sempre gostei muito de basquete, e agora, depois de um longo hiato, eu resolvi retornar e voltar a prestigiar o Mogi Basquete.

A decisão aconteceu na segunda-feira (04/05), sair de casa à tarde e fui rumo ao ginásio profº Hugo Ramos, a fila já estava longa; aguardei a minha vez e depois de ter ficado quase uma hora na fila comprei o ingresso pro 5º jogo decisivo de Mogi contra Macaé marcado no mesmo dia que comprei o ingresso. Satisfeita por ter efetuado a compra, voltei pra casa; estudei um pouco pra prova do dia seguinte e logo em seguida fui me arrumar para o grande jogo. O jogo estava marcado para às 20h mas acabei saindo uma hora mais cedo pra garantir um bom lugar. Fui sozinha, entrei no ginásio, encontrei um lugar bacana pra assistir o jogo.

A casa estava lotada ou como os torcedores assíduos costumam dizer "O Caldeirão", enfim o jogo estava muito bom e equilibrado, mas felizmente (ainda bem,né!), quem levou a melhor foi o Mogi Basquete vencendo por 91x84 garantido dessa forma a vaga para as semifinais pelo segundo ano consecutivo. 

Mal cheguei no caldeirão e já comecei bem sendo pé quente pro time da minha cidade natal. E que venha muitos jogos do Mogi Basquete pra acompanhar e quiçá que nos traga, nos presenteia muitos títulos e taças. Vai, Mogi!


segunda-feira, 9 de março de 2015

Parabéns pelos 32 anos!

Mais um ano comemorando o seu aniversário e olha que já são 10 anos acompanhando a sua carreira dentro dos 32 anos bem vividos que você completa nesta data 9 de março. O meu presente eu continuo te dando todos os dias que é o meu carinho, o respeito e a admiração que tenho pelo seu trabalho e o seu jeito de ser que me encanta de todas as formas.

Obrigada por fazer parte da minha e por presentear pessoas maravilhosas que eu conheci graças a você. E termino com aquela frase de sempre que costumo me referi a ti: "Meus sonhos são os mesmos que os seus", continuo batalhando pelos seus ideias e servindo de inspiração para um coração que sorri quando você realiza os seus sonhos.

Feliz aniversário, meu amorzinho!!!
32 anos - 09/03/2015 

Complicada e fresca que bagunçou a minha vida. Cansei


No dia 27 de fevereiro eu postei aqui a minha felicidade em ter voltado a conversar com ela mas essa felicidade não durou muito. Juro, que agora a culpa nem foi minha. E já dizia o trecho de uma música "complicada e perfeitinha você me apareceu era tudo o que eu queria mulher de fases", acho que essa frase defini bem o nosso relacionamento desde setembro de 2014.

sexta-feira, 27 de fevereiro de 2015

Simplesmente voltou


Não lembro exatamente quando isso aconteceu. Talvez tenha ocorrido na segunda-feira (23) ou terça-feira (24) mas eu só percebi na quarta que ela havia voltado a me seguir. Entrei em êxtase quando olhei o seu perfil e vi que estava me seguindo de volta. Sei que é bobo sentir essa emoção, mas é assim que ficamos quando estamos loucamente apaixonados. Tudo é motivo para sorrir e se emocionar mesmo que algo seja extremamente bobo e ridículo.

domingo, 25 de janeiro de 2015

Book #10: Por toda a eternidade


Tully Hart é uma jornalista e apresentadora de um talkshow norte-americano famosíssimo. A sua ambiciosidade a fez dela uma pessoa notória a nível nacional por sua dedicação e responsabilidade, porém nem tudo são flores, por fora parecemos ser uma pessoa feliz, por dentro guardamos mágoas e escondemos um passado obscuro que não queremos que ninguém saiba de sua existência e veja as nossas fraquezas. Abandonada por sua mãe quando ainda era um bebê de colo e desde então nunca teve uma figura materna e paterna, então desde pequena se sentia sozinha até conhecer aos catorze anos a Kate Ryan foi através desta menina que Tully conheceu o verdadeiro significado da amizade verdadeira , sincera, duradoura e capaz de suportar qualquer barreira.

sábado, 10 de janeiro de 2015

Book #09: O oceano no fim do caminho


Um homem volta à cidade em que morou durante a sua infância (Sussex, Inglaterra) um lugar repleto de nostalgia. Próximo a sua residência onde habitava, no fim da rua encontrava-se uma fazenda herdada por três mulheres - as Hempstock. Foi neste lugar que o homem encontrou nos braços da pequena Lettie Hempstock um refúgio para os seus medos.

sexta-feira, 2 de janeiro de 2015

Book #08: Orange is the new black


Piper Kerman é uma garota com seus vinte e poucos anos, recém-formada em uma prestigiada faculdade dos EUA, uma garota como outra qualquer que você irá se identificar. Após a graduação na faculdade, sentia uma necessidade de experimentar novos rumos e conhecer pessoas diferentes que fizesse da sua vida mais prazerosa. Despertou um interesse em se relacionar com uma mulher mais velha, seu jeito engraçado e egoísta chamou a sua atenção e juntas tiverem um breve romance e desse relacionamento levou a se envolver indiretamente com tráficos de drogas e viajar pelo mundo.